terça-feira, 18 de dezembro de 2012

Ciúme, eu?

O amor deixa a gente meio boba. Essa é a única explicação para tantas complicações bestas que vão surgindo (ou será que vamos criando?) no meio do caminho. Expectativa, rotina, distância, insegurança, saudade e, é claro, o abominável e tão temido ciúme. Acredite: se você ainda não passou por algum desses problemas durante sua relação, muito provavelmente, passará um dia. O pior? Se ainda não estiver pronta para lidar com a "fase ruim", pode acabar com um final nem um pouco feliz.
Credo! Bate três vezes na madeira. Isso, definitivamente, não pode acontecer com você.
Não é para ignorar os conselhos das suas melhores amigas, mas a resposta certa pode estar naqueles minutinhos de boa e velha introspecção. Como assim? Feche agora mesmo a porta do quarto, dê o play na sua música favorita e apague a luz. Tente escutar e compreender os seus próprios sentimentos. Sem pressa ou medo dos julgamentos alheios. Coloque em uma balança imaginária todos os melhores e piores momentos que vocês já compartilharam. Agora, me diga: acha que valeu a pena e ainda vale?
A dura verdade é que a pessoa que amamos, de pertinho, nunca é exatamente como imaginamos ou planejamos. Contos de fadas enganam, mas, por incrível que pareça, essa é a coisa mais incrível de se apaixonar por alguém. Nunca temos todo o controle e a certeza do final feliz. O outro sempre terá suas próprias manias, defeitos e, principalmente, um passado cheio de erros, acertos e lembranças. E isso não quer dizer que não exista espaço para você. Quer dizer que você vai precisar conquistá-lo diariamente para continuar ali. Nada de se transformar em uma garota pegajosa. Para ganhar espaço na vida de alguém, precisamos fazer com que essa pessoa admire nossas atitudes e queira, cada vez mais, fazer parte do universo que criamos e chamamos de rotina.
A solução para o ciúme não é afastar todas as outras pessoas do mundo que aparentam ser um risco para a felicidade do casal. O caminho para superar o problema é, na verdade, mostrar que mesmo que existam bilhões de pessoas diferentes no mundo todo, você continua sendo a que mais vale a pena. Seja fazendo aquela piadinha ridícula que só ele acha graça, passando o dia jogando videogame na sala de casa ou simplesmente escrevendo um texto em forma de declaração no seu blog.
Não deixe que o medo de perdê-lo faça você esquecer como o conquistou. Aliás, faça tudo de novo sempre que possível! Às vezes, nossos relacionamentos precisam de cuidados especiais. Confie mais. Tanto nele quanto em você. Posso contar um segredo que aprendi vivendo? Os garotos preferem as meninas mais sinceras.         -Bruna Vieira (Depois dos Quinze)

quinta-feira, 13 de dezembro de 2012

Eu não sei amar, mas eu te amo



Eu queria te falar das borboletas no estômago. Sabe, aquelas que todo mundo diz que aparecem no nosso corpo quando a gente tá naquele estado de paixão? Aparecem mesmo. Mas as minhas são bem mais rebeldes do que dizem por aí: elas andam dando mortais aqui dentro, me fazendo dar pulos de susto. Pulo, aliás, é o que mais meu coração anda dando cada vez que você passa por mim. E aí eu percebo que o que mais temia já aconteceu.
O problema é que eu não sei amar. É bom dizer isso logo de cara. Eu precisava que você explicasse isso para o meu corpo. Eu-não-sei-amar. É verdade, eu juro. Eu confundo tudo, eu cobro demais, eu me cobro demais, eu tenho medo e aí eu fujo. Eu fujo, porque eu não sei amar. E quem é que sabe amar por aí? Quem é que sabe até aonde pode ir, até aonde deve, ou o tal do jeito certo de amar outra pessoa? Como é que faz para aprender a parte teórica de amar? Tem aula?
Eu não queria amar. Mas eu queria te falar das minhas mãos suadas, das minhas pernas bambas e do meu coração disparado. Eu queria te falar do nervoso que eu sinto quando você manda uma mensagem e me faz sentir como se eu fosse a única mulher no mundo. Eu queria te falar sobre as coisas que eu li só para te impressionar. E até sobre todos os filmes que eu assisti (e não suportei!) só para ter assunto com você.
Sem saber amar tudo fica bem mais difícil. Mas eu ainda queria te falar que olhei se nossos signos combinavam (e eu nem acredito em horóscopo). Eu queria te falar sobre como eu arrumei a bagunça da minha vida e tirei a poeira debaixo do tapete (ainda que isso seja exagero). Eu queria te falar que seu número é o primeiro da minha agenda, que meu celular só tem mensagem sua e eu que eu salvei uma foto do seu sorriso (só para não esquecer).
Eu queria te falar do meu olhar bobo quando você me mostra que você não tem nada de especial, mas ainda assim consegue ser o único a cativar toda a minha atenção (e o meu coração). E eu queria te falar de como eu já estou planejando te ligar no dia 31. E que, faltando segundos para a virada do ano, eu queria te falar sobre aquilo que já me conformei: eu não sei amar, mas eu te amo.  -Bruna Vieira (Depois dos Quinze)

quarta-feira, 12 de dezembro de 2012

Guarda-roupa virtual


Hey girls desse Brasil! Hoje resolvi inovar a cara desse blog. Nada de textos motivadores, sonhadores ou cheios de romantismo. Hoje eu resolvi apresentar pra vocês, uma ferramenta que descobri há mais ou menos um ano e que está sendo super útil desde então. Se chama tanlup
O tanlup é um site super fofo e feminino, que junta várias lojas virtuais em um só lugar. Um grande shopping na internet. Tá quase um google. Lá você pode acessar os canais de moda, casa e decoração, vintage, casamento e etc. Você pode criar uma conta acessando o facebook e o mais legal são as "favoritagens". Se você gostou de uma roupa e quer guardar no seu canal, você clica no coraçãozinho que aparece do lado direito de todos os produtos. Além do mais, você pode seguir a loja que você gostou e acompanhar as novidades e laçamentos dessa loja. 

Fiz minha primeira compra em dezembro do ano passado, uma agenda de bolso da Hello Kitty. Eu sempre procuro no tanlup, coisas como: maquiagem, capinhas para celular, esmaltes, sapatos, t-shirts e cadernos. Vende até Chanel e Victoria Secrets, gente! 
Uma das minhas lojas favoritas é a Cherry Store. Sou apaixonada pelos vestidos e acessórios que aliás, estão com um precinho bem camarada.  E tudo dessa loja é importado da China. Demora um pouco e o frete aumenta em até no máximo 20 reais do preço mas mesmo assim, ainda acho que vale a pena. A variação de preço dos vestidos é de 59,90 a 99,90. Alguns ternos e blazers custam acima de 100 reais, mas comparando com o preço das lojas físicas, tá super em conta. 

Esse outro também é um dos meus favoritos e é pra quem pira nos esmaltes como eu. O Esmaltando tem todo tipo de esmalte que você possa imaginar. Aqueles que ninguém consegue encontrar em farmácia nenhuma, só nas esmalterias. E também material para nail art como plaquinhas, carimbos, pincéis e canetas próprias para desenho nas unhas.
Tenho certeza que o tanlup vai ser um quebra-galho enorme pra quem não conhecia e passa horas procurando o que comprar na internet. Tipo eu, antes de conhecer. Espero que tenham gostado. Beijos,
                                                                   Iolanda Barreira.

quarta-feira, 5 de dezembro de 2012

Como se mede uma pessoa?

Como se mede uma pessoa? Os tamanhos variam conforme o grau de envolvimento. Ela é enorme pra você quando fala do que leu e viveu, quando trata você com carinho e respeito, quando olha nos olhos e sorri destravado. É pequena pra você quando só pensa em si mesmo, quando se comporta de uma maneira pouco gentil, quando fracassa justamente no momento em que teria que demonstrar o que há de mais importante entre duas pessoas: a amizade.
Uma pessoa é gigante pra você quando se interessa pela sua vida, quando busca alternativas para o seu crescimento, quando sonha junto. É pequena quando desvia do assunto.
Uma pessoa é grande quando perdoa, quando compreende, quando se coloca no lugar do outro, quando age não de acordo com o que esperam dela, mas de acordo com o que espera de si mesma. Uma pessoa é pequena quando se deixa reger por comportamentos clichês.
Uma mesma pessoa pode aparentar grandeza ou miudeza dentro de um relacionamento, pode crescer ou decrescer num espaço de poucas semanas: será ela que mudou ou será que o amor é traiçoeiro nas suas medições? Uma decepção pode diminuir o tamanho de um amor que parecia ser grande. Uma ausência pode aumentar o tamanho de um amor que parecia ser ínfimo.
É difícil conviver com esta elasticidade: as pessoas se agigantam e se encolhem aos nossos olhos. Nosso julgamento é feito não através de centímetros e metros, mas de ações e reações, de expectativas e frustrações. Uma pessoa é única ao estender a mão, e ao recolhê-la inesperadamente, se torna mais uma. O egoísmo unifica os insignificantes.
Não é a altura, nem o peso, nem os músculos que tornam uma pessoa grande. É a sua sensibilidade sem tamanho.   -Martha Medeiros